Dona Nilza

Hoje cheguei a tempo de tomar café com a minha Vó. Antes de me perguntar – com um sorriso que enche meu coração de ternura – como passei o dia, ela me alerta sobre a falta de açúcar no café porque sabe que sou cabeça de vento e só noto a amargura depois de tomar um puta gole.
 
Eu nem enxerguei o fundo da xícara e ela já pergunta:
– Vai querer jantar, Ni? Eu fiz feijão de corda.
– Não, vó, brigada. Eu comi na rua.
– Besteira, né? O que sustenta é arroz e feijão não é essas besteira que tu come por aí não. Come pelo menos um pouquinho, mulher ( a bronca mais carinhosa que eu respeito).
– Tá bom, Vó. Eu como!
 
Ela sorri. Eu fico impressionada com a felicidade dela em me alimentar. Acho que aos seus olhos, sempre serei aquele serzinho raquítico que vivia doente por não comer direto.
 
Sabe, a minha Vó me ensinou bastante coisa. Eu aprendi que chá de laranja é bom pra pegar no sono. Descobri que pra não inflamar o machucado, a gente tem que macerar mastruz e por encima – dói um pouco, mas sara rapidinho. Ela me ensinou o ponto cruz, a medir a quantidade de água que vai no arroz, a ascender fogão de lenha, a amarrar  e equilibrar feixe de lenha na cabeça, me ensinou o quão importante é o perdão e o mais importante, me ensinou a amar.
 
A Vó me ama quando me cobre de madrugada.
A Vó me ama quando guarda o último pedaço de bolo pra mim.
A Vó me ama quando pede pra Deus me acompanhar depois de eu pedir a benção ( antes ela pedia pra ele me dá juízo rs ).
A Vó me ama quando não me julga pelas decisões que eu tomo, mesmo que discorde.
A Vó me ama quando, meio sem jeito, diz pra eu não chorar, que pessoas melhores virão.
A Vó me ama quando fica puta com quem me magoa, mas logo se arrepende do sentimento ruim porque diz que ninguém pode odiar ninguém.
A Vó me ama quando faz duas tapiocas de manhã , segunda ela, uma só não tapa nem o buraco do dente.
A Vó me ama quando pergunta “como passou o dia, Ni?”
 
A Vó me ensinou a premissa básica do amor: cuidado, admiração e gratidão, me ensinou na prática.
 
Sabe essa mulher que parece frágil aí na foto? Pois bem, ela é a pessoa mais foda que eu conheço.
Agora que você já conheceu a Dona Nilza, sugiro que pare o que estiver fazendo, corra pro colo da sua Vó e peça aquele cafuné desconcertante que só ela sabe fazer.
 
Um beijo
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s